Home Todos Comportamento Constelação Familiar Sistêmica – Relato 3 – “A alergia e o avô”

 

 

Uma jovem chegou e disse que queria constelar uma alergia que tinha na pele. Ela não tinha nada visível ou que aparentasse gravidade. E naquela época, ainda com tão pouco conhecimento sobre a constelação, não tinha ideia do que uma simples alergia poderia indicar.

A jovem estava acompanhada por sua mãe.

Logo de início, um homem foi colocado sobre o chão, onde a jovem olhava, indicando que ela estava ligada a alguém que já havia morrido. No decorrer da constelação, ficou claro que aquele homem era seu avô, que havia falecido há pouco mais de um ano. Porém a dor ainda estava lá, sufocada e se manifestando em forma de alergia.

O avô havia morrido num acidente de carro, no qual uma de suas filhas estava dirigindo. Alguns membros da família, desde então, a culpavam constantemente pela morte do patriarca. E não só a alergia da jovem foi explicada, mas também toda a dor que aquela perda estava trazendo para tantos familiares. Tanto os que culpavam a tia pelo trágico acidente, mas principalmente, a própria tia, estava sofrendo com o emaranhado que havia se formado ali.

Havia a jovem de reconhecer a dor de sua perda e aceitar o luto, bem como os membros da família tinham que interromper a acusação e julgamento em relação a tia, que estava dirigindo o carro no dia do acidente.

Uma constelação quando é feita tem o dom e concede a graça de favorecer não apenas o constelado que está ali presente, mas todas as pessoas que são representadas durante uma constelação. Todos se beneficiam da energia movimentada, e que chega a ser reverberada até por dois anos.

A constelação mostra o que a alma precisa enxergar. É a luz trazida ao consciente pelo próprio inconsciente de quem constela. Por isso se diz, que às vezes, uma constelação pode ser “um tiro no pé”. Por vezes uma pessoa constela um tema, acreditando que conhece as causas e os “culpados” por aquele problema. E no momento da constelação, por vezes se revela que o próprio constelado (a) é responsável por aquece tema. É incrível.

É preciso coragem para constelar. Não pelos presentes que irão assisti-la, mas pela força necessária para enxergar a si mesmo. A constelação pode ser feita de forma oculta, sem que todos saibam o que está sendo trabalhado ali, porém, para o próprio constelado é como ver a própria alma desnudada, mostrando o que precisa ser visto e revisto.

A constelação é um convite para se visitar e enxergar a alma.

 Mais informações em:

Sobre Bert Hellinger e a Constelação Familiar Sistêmica

http://www.berthellinger.com.br/

Profissional em São Paulo:

Alexandra Motta Vale (Psicóloga Clínica) CRP 06/45737

Fone: (11) 98115-4559 alexandramottavale@gmail.com

Campo Belo

Deixe um comentário


*