Home Constelação Constelação Familiar Sistêmica – Relato 4 – “A jovem que não conseguia...

 

 

Para quem acredita, que uma família bem estruturada e cheia de amor não tem lá os seus problemas, é porque não teve a oportunidade de ver esta constelação.

Uma jovem muito bonita e aparentemente bem resolvida resolveu constelar sua vida amorosa, pois não conseguia ter um relacionamento longo com nenhum rapaz. Ela até tinha seus pretendentes e iniciava alguns namoros, mas pouco tempo depois, parece que todo o interesse, por parte dela, desaparecia.

Logo de cara, a constelação deixou bem claro, que a família da moça era muito equilibrada e amorosa. Os pais se amavam, bem como amavam seus filhos. E por mais que esse tipo de estabilidade emocional seja raro e positivo em uma família, neste caso, por exemplo, havia um sentido ruim.

A jovem tinha tanta admiração pelos seus pais e pela relação que os mesmos conseguiam ter, mesmo depois de tantos anos de casados, que ela desejava ter exatamente a mesma coisa para ela. Existia, de maneira inconsciente, a idealização de um homem exatamente igual ao seu pai.

A jovem, toda vez que iniciava um namoro, via no pretendente alguém que supostamente deveria ter as mesmas características que seu pai. E por mais que seu genitor, fosse mesmo um ótimo exemplo da figura masculina, o fato de ela desejar alguém exatamente como ele, estava mais afastando-a de uma relação amorosa bem sucedida, do que a aproximando.

A própria constelação nos ensina a aceitar as pessoas como elas são. O amor deve acontecer sem julgamento ou expectativa sobre o que o outro é. Se amo, também aceito. A jovem ainda viria a entender a sua necessidade de não mais procurar a figura paterna em seus relacionamentos. Só assim ela teria uma chance de sucesso duradouro num relacionamento.

Quando a constelação terminou, a jovem se mostrou um pouco irritada e nervosa, como quem não estava aceitando o que a sessão havia acabado de lhe mostrar. Este tipo de reação também é natural, quando antes se cria uma expectativa sobre o resultado de uma constelação e se assume saber a causa do problema. E aí, quando a  realidade vem à tona, de uma forma bem diferente da que se foi pensada anteriormente, há um choque para aquele que foi constelado.

As constelações estão aí para isso, como um ótimo recurso para a compreensão do inconsciente e da alma.

Há de se ter coragem para ver, por vezes, o inimaginável.

De qualquer maneira, o que significará a cura.

Mais informações em:

Sobre Bert Hellinger e a Constelação Familiar Sistêmica

http://www.berthellinger.com.br/

Profissional em São Paulo:

Alexandra Motta Vale (Psicóloga Clínica) CRP 06/45737

Fone: (11) 98115-4559 alexandramottavale@gmail.com

Campo Belo

 

 

 

Deixe um comentário


*